Agência Neurônio
 Ir para a página Inicial da ANEEL  Imagem Superior do Perfil: Informações Técnicas
Informações em tempo real Missão e Visão | Protocolo-Geral | Biblioteca Virtual | Busca | Cadastre-se | Fale Conosco | Processos | Mapa do Site | Links | Serviços | Glossário | English
Informações Técnicas Aumentar o tamanho da fonte. (Atalho: Alt A) Diminuir o tamanho da fonte. (Atalho: Alt D)    
Página Inicial  Informações Técnicas Imagem Seta Últimas Notícias

Texto a procurar   Período de  a   
ANEEL divulga ranking de qualidade do serviço das distribuidoras de energia
05/03/2015

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) divulgou, em seu portal na internet, o ranking das concessionárias de distribuição de energia elétrica do país em relação à qualidade do serviço prestado em 2014.

 Em 2014, pelo segundo ano consecutivo, registrou-se melhora no DEC Brasil, que caiu 39 minutos em relação ao ano anterior, alcançando 17,61 horas (O DEC, Duração Equivalente de Interrupção, indica o número de horas que, em média, um consumidor fica sem energia elétrica durante o ano). A Frequência Equivalente de Interrupção (FEC), que indica quantas vezes em média houve interrupção no fornecimento de energia, continua em queda e foi de 9,94 vezes – contra as 10,49 vezes de 2013.

No gráfico abaixo é possível verificar a trajetória dos dois indicadores.
 


 

O ranking avaliou todas as concessionárias do país para o período de janeiro a dezembro de 2014 e foi dividido em dois grupos, de acordo com o porte da empresa. São 36 concessionárias de distribuição consideradas de grande porte, com o mercado faturado anual de energia maior que 1 TWh (terawatt hora), e 27 concessionárias consideradas de menor porte, com o mercado faturado anual menor ou igual a 1 TWh.
No mercado maior que 1 TWh, as melhores colocadas foram a Companhia Luz e Força Santa Cruz (CPFL Santa Cruz, SP), seguida da Companhia Energética do Ceará (Coelce) e da Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A distribuidora que mais evoluiu foi a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig-D) com um avanço de dez posições em comparação com o ano de 2013. As três piores foram a Companhia Energética de Goiás (Celg-D), em 36º lugar, a Companhia Energética de Alagoas (Ceal), em 35º, e a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), em 34º. Além disso, a concessionária que mais regrediu foi a Distribuidora Gaúcha de Energia (AES SUL), com recuo de 12 posições em comparação a 2013.

No mercado inferior a 1 TWh, as três melhores foram: Força e Luz Coronel Vivida (Forcel, PR), DME Distribuição S.A (Dmed, MG) e a Empresa Força e Luz João Cesa (EFLJC, SC). A distribuidora que mais evoluiu foi a Energisa Nova Friburgo (ENF, RJ), com um avanço de nove posições comparado com 2013. As três piores nesse mercado foram a Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), em 27º lugar, a Iguaçu Distribuição de Energia Elétrica (Ienergia, SC), em 26º, e as Centrais Elétricas de Carazinho (Eletrocar, RS), em 25º. A distribuidora que mais regrediu foi a Empresa Luz e Força Santa Maria (ELFSM, ES), com recuo de nove posições em comparação a 2013.

A seguir, seguem as duas tabelas com os resultados de 2014:
 

Ranking 2014 – empresas de grande porte (mercado > 1TWh/ano Ranking 2014 – empresas de pequeno porte (mercado < 1TWh/ano



 

A avaliação é elaborada com base no Desempenho Global de Continuidade (DGC), formado a partir da comparação dos valores apurados de DEC(1) e FEC(2)das concessionárias em relação aos limites estabelecidos pela ANEEL. O ranking é um instrumento que incentiva as concessionárias a buscarem a melhoria contínua da qualidade do serviço. Mesmo para as distribuidoras que estão abaixo dos limites regulatórios, existe incentivo para que elas continuem buscando as melhores posições.
 
Desde 2013, o ranking está sendo utilizado para definição do Fator X(3) e é aplicado em cada reajuste tarifário, com impacto na tarifa da distribuidora.
 
O ranking da continuidade do serviço é publicado anualmente pela ANEEL. Veja aqui o ranking dos anos anteriores. (JS/SRD).
 

  • O DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) indica o número de horas que, em média, um consumidor fica sem energia elétrica durante um período, geralmente o mês ou o ano.
  • O FEC (Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) indica quantas vezes, em média, houve interrupção no fornecimento de energia, num determinado período.
  • O Fator X tem por objetivo principal garantir que o equilíbrio entre receitas e despesas eficientes se mantenha ao longo do ciclo tarifário e é estabelecido no momento da revisão tarifária.


 


   Imprimir esta página Imprimir    Indique para um amigo Indique para um amigo